Chamada de Seção Temática “Mobilidades e Territorialidades de Crianças e Jovens na América Latina”

Os conceitos de território e de mobilidade têm sido cada vez mais mobilizados na compreensão das relações e dos processos sociais no mundo contemporâneo, inclusive no que se refere às crianças e jovens. A mobilidade, enquanto prática social de deslocamento através do tempo e do espaço, que possibilita o acesso a atividades, experiências, pessoas e lugares, envolve aspectos corporais, interacionais, simbólicos e afetivos, desigualmente vividos, em relação com a classe, o gênero, a idade, a etnia, o território, entre outras dimensões de desigualdade e diferença (Segura, 2014)1. As mobilidades podem oferecer oportunidades de encontros sociais que fazem parte dos complexos processos de tornar-se sujeito. Entretanto, muitas crianças e jovens estão sujeitos a mobilidades forçadas, barreiras de acesso, constrangimentos ao deslocamento, ou ainda são excluídos de certos espaços.
A partir dos deslocamentos, crianças e jovens podem ocupar novos territórios e assumir outros lugares e identidades. Pensar o território implica considerar os sujeitos nele posicionados e suas formas de pertencimento, bem como as múltiplas relações de poder que produzem e perpassam este espaço, tanto o poder no sentido explícito, de dominação, quanto o poder no sentido mais implícito ou simbólico, de apropriação (Haesbaert, 2007)2. Neste sentido, a análise da dimensão da territorialidade – que diz respeito às relações e identificações com o território e às apropriações do espaço a partir das relações de poder – em diálogo com a dimensão da mobilidade, pode nos oferecer contribuições importantes na compreensão da forma como crianças e jovens se apropriam dos diferentes espaços e se reconhecem neles.

A DESIDADES – Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude – convida pesquisadores e profissionais da América Latina para a submissão de artigos científicos para a Seção Temática “Mobilidades e territorialidades de crianças e jovens na América Latina”.

Esta seção tem o objetivo de divulgar, a partir de um enfoque multidisciplinar, discussões teóricas e relatos empíricos que contribuam para o aprofundamento da análise e compreensão das mobilidades e territorialidades de crianças e jovens latinoamericanos, tendo em vista suas condições, dimensões estruturais, relações de poder envolvidas, imaginários, motivações, aspirações e outros aspectos subjetivos relacionados.

Os/As interessados/as devem submeter os devidos artigos no site da revista DESIDADES https://revistas.ufrj.br/index.php/desidades/. O/a proponente deve estar atento/a para no “Passo 1. Iniciar submissão” preencher o campo Seção com a alternativa “Seção Temática”. Caso contrário, o artigo não será processado para a Seção Temática, entrando no fluxo de artigos para as outras edições.

A seguir um elenco de subtemas que estão inclusos nesta temática: mobilidades cotidianas; processos migratórios; crianças e jovens refugiados; mobilidade campo-cidade; mobilidades, territorialidades, violência urbana e políticas de segurança pública; direito à cidade; mobilidade e consumo; mobilidades, territorialidades e sua relação com estratégias e táticas de sobrevivência; mobilidades e oportunidades de vida; mobilidades virtuais; mobilidades imaginárias; constrangimentos e barreiras às mobilidades; mobilidades, territorialidades e processos de exclusão social; mobilidades, territorialidades e sua relação com as categorias de gênero, raça, etnia, classe, idade e deficiência; questões relacionadas à dualidade mobilidade-permanência; sociabilidades e território.

Recebimento de artigos: até 31/01/2021
Publicação da Seção Temática: agosto de 2021

1 – SEGURA, R. Ciudad, cuerpo y movimiento. Elementos para una antropología de la movilidad urbana. In: CAMBLOR, E. et al. (Org.). Prácticas de la Educación Física. La Plata: Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad Nacional de La Plata, 2014. p. 193-203.
2 – HAESBAERT, R. Território e multiterritorialidade: um debate. GEOgraphia, v. 9, n. 17, p. 19-45, 2007.